Arquitetura e Urbanismo

Levante Favelinha

https://youtu.be/Nnkm2T0tnWk
O que é

Projeto para a reforma e ampliação do centro cultural Lá da Favelinha.

Kdu dos Anjos Belo Horizonte Contato Facebook Instagram Twitter Site
R$ 112.780
104% de R$ 108.640 necessários
Período de arrecadação encerrado
315 pessoas já apoiaram esse projeto!

Sobre o Projeto


#LEVANTEFAVELINHA

O projeto para a reforma e ampliação do centro cultural Lá da Favelinha está inserido em um dos maiores aglomerados urbanos do Brasil – a favela da Serra, onde vivem aproximadamente 50 mil pessoas. Partimos da premissa de estabelecer, nessa instituição que é essencialmente coletiva, um marco simbólico, que crie uma nova referência arquitetônica a pessoas que vem historicamente sofrendo restrições de acesso, qualidade e segurança construtiva e conforto ambiental de suas construções.

Ao mesmo tempo, trata-se de uma oportunidade singular de aproximar toda a criatividade e energia da população local, a capacidade cultural, formadora e empreendedora do centro cultural, e o conhecimento acadêmico e prático de um grupo de profissionais de arquitetura, urbanismo e engenharia. Uma rica troca de saberes que fortalecerá os três pilares da sustentabilidade – social, ambiental e econômico – e fará o projeto Lá da Favelinha voar cada vez mais alto.


Nova arquitetura


O imóvel sede do centro cultural foi construído através do esforço de um motorista de táxi e uma confeiteira, que transformaram sua vida vendendo cachorros-quentes ainda hoje famosos no local onde moravam, quando se estabeleceram na cidade. O empreendedorismo do casal os levou a conseguir o terreno em 1995, trocado na época por um fusca e uma televisão. Desde então, construíram a casa em que vivem e onde criaram os filhos, além de um segundo imóvel, com dois pavimentos e terraço e ainda em processo de construção, que abriga o centro cultural há três anos, sob a gestão de um dos filhos.

O projeto de reforma e ampliação do Centro Cultural Lá da Favelinha iniciou-se em julho de 2017, quando um grupo de arquitetos visitou o local e percebeu como um projeto de arquitetura poderia contribuir muito para que o espaço abrigasse mais funções e de maneira mais adequada, confortável e sustentável. 

Reconhecido o potencial da iniciativa, decidimos nos engajar voluntariamente de uma maneira integral: criando um coletivo para elaborar o projeto de arquitetura, reunindo projetistas para as disciplinas de engenharia e outros parceiros de nossa rede de trabalho para o fornecimento de materiais e mão-de-obra, e contando com a participação de uma empresa construtora igualmente sensibilizada com o projeto.




Ocupação plural

Atualmente, o andar térreo é utilizado para a biblioteca e os cursos e oficinas gratuitos; parte do segundo andar abriga a loja fixa do Favelinha Shopping Center e o terraço encontra-se sem utilização, ocupado com materiais da obra inacabada (e agora interrompida para que se realise o projeto que apresentamos aqui).

Com a reforma proposta, a lojinha passaria a ocupar o primeiro andar, junto com a biblioteca. A relação direta com a rua favorecerá as vendas e o interesse dos moradores em participar, uma vez que a lojinha funciona como uma cooperativa. A biblioteca também deve usufruir do acesso mais direto, motivando o público passante à leitura e evitando sobrecargas concentradas nos pisos superiores.

O segundo andar passa a abrigar ambientes para o ateliê de costura e estações de trabalho. O centro já possui 3 máquinas de costura profissionais e produz peças para as coleções da marca REMEXE e para o Favelinha Fashion Week. Além disso, precisa de estações de trabalho com computadores para a administração e para edições de material audiovisual gerado nas oficinas ou para a divulgação dos projetos culturais.

O terceiro andar será parcialmente coberto permitindo a instalação de uma cozinha experimental. O restante da área será protegida do sol por uma pérgola vegetal, estruturada por treliças nervuradas, e abrigará salão com pé-direito alto para a realização das oficinas, cursos, refeições coletivas e pequenos eventos.

O projeto prevê a construção de banheiros no segundo andar e a remoção de algumas paredes nesse mesmo piso, de modo que os três níveis da edificação tenham mais flexibilidade de usos no futuro.

Como solução construtiva, priorizou-se o uso de estrutura, cobertura e vedações metálicas, elementos industrializados de rápida montagem e instalação, garantindo uma obra leve, seca e racional.






Conforto térmico, acústico, visual, saúde e modular

A edificação apresenta problemas de ventilação e iluminação naturais que o projeto de reforma soluciona com a criação de circulações de ar internas entre os pavimentos através da escada.

A arquitetura deve se destacar visualmente do contexto do aglomerado, em que a grande maioria das construções é feita com tijolos furados aparentes. A solução vegetal, predominante após a reforma, será leve o suficiente para ser instalada sobre a estrutura existente sem a necessidade de reforços.

Como solução construtiva, priorizou-se o uso de estrutura, cobertura e vedações metálicas, elementos industrializados de rápida montagem e instalação, garantindo uma obra leve, seca e racional.

Mobiliário e paisagismo

Todo o mobiliário do projeto, nos três pavimentos, será concebido e executado coletivamente com agentes e participantes do centro cultural, sob a orientação dos arquitetos. O material utilizado será o compensado de madeira, Todo o beneficiamento do material será feito em uma oficina/ makerspace localizada nas proximidades do Aglomerado da Serra, com a participação de técnicos voluntários.

Será construído um parklet em frente ao centro cultural, que garantirá mais segurança na entrada e saída de crianças na calçada estreita, além de oferecer um espaço público para o descanso e o encontro.

O paisagismo estará concentrado em três pontos: no parklet, onde deve criar um filtro para a insolação da tarde; na fachada; e na cobertura do terceiro pavimento. O paisagismo será desenvolvido, mantido e renovado, coletivamente, através de oficinas e workshops organizados pelo centro cultural.




Identidade e participação

Para que a população local se aproprie plenamente do centro cultural, é importante que o processo de construção e ocupação do espaço promova a participação e que o resultado final traga inovação, mas que também represente a identidade local.

A obra empregará trabalhadores da construção civil que residem no entorno do centro cultural e que já estavam envolvidos no início da construção. A oficina de criação de mobiliário, voltada ao público local, será uma ação importante para reforçar o vínculo dos moradores com a instituição, criando uma relação de pertencimento. 






Atualizações


12/18/2018 13:11

Reta final da Campanha Levante Favelinha

A campanha Levante Favelinha continua com força total para conseguir ampliar e reformar o Centro Cultural. E para isso, precisam os arrecadar cerca de R$108 mil. Se conseguirmos alcançar essa meta, a Favelinha vai ficar ainda mais linda e vai conseguir atender mais pessoas da comunidade, ajudando a construir e realizar sonhos, além de aumentar o potencial criativo, formador, cultural e empreendedor do espaço.


Nesses três meses de campanha conquistamos muitas coisas: fizemos parcerias incríveis, vimos o potencial da coletividade, atingimos 79% da meta, conseguimos arrecadar mais de R$85 mil e iniciamos a reforma do Centro Cultural. Por isso, a Favelinha agradece a cada um que contribuiu de alguma forma nessa caminhada!


Agora que estamos na reta final da campanha, precisam os de muita ajuda para realizar esse sonho. Vamos continuar unindo forças, divulgando e apoiando o projeto. Juntos, podem os voar ainda mais alto!


10/19/2018 10:54

Voa Favelinha

Em setembro, a Favelinha voou alto com as palestras realizadas por Kdu dos Anjos, gestor do Centro Cultural. Na primeira do mês, que aconteceu no dia 3, Kdu falou sobre a Favelinha na mobilização para a Conferência Municipal da Juventude na Escola Estadual Donato Weneck de Freitas, onde também teve apresentação do grupo Favelinha Dance e palinha do MC Bobnei. No dia 19, Kdu participou do Fórum de Investimento e Negócios de Impacto e falou sobre “Mulheres e Minorias”. No dia 20 foi a vez de palestrar sobre o tem a “Periferias, vilas, favelas e potencialidades” no XIII Seminário de Extensão da PUC Minas. A Favelinha também foi até a Feira de Profissões da Assprom , onde Kdu dos Anjos falou sobre o centro cultural e sua trajetória no dia 26. Para fechar o mês, no dia 27, Kdu levou a história da Favelinha até o Colégio Marista.


10/19/2018 10:39

Festa na Favelinha

Dia 11 foi aniversário do cara mais cool de Belo Horizonte e gestor do Centro Cultural Lá da Favelinha: Kdu dos Anjos. E para com em orar teve aquela tradicional festa beneficente com muita música, passinho e amor. E como todo ano, o presente foi para a Favelinha, com a arrecadação de produtos de limpeza, alimentos não perecíveis, roupas e recursos para a campanha Levante Favelinha.




10/19/2018 10:25

Curso Lá na Favelinha

O curso “Lá na Favelinha” agitou o primeiro dia do mês no centro cultural. O curso foi resultado da parceria entre a Favelinha e o Instituto Amado. Quinze pessoas, dentre m em bros da com unidade e de fora, tiveram a  oportunidade de escutar, enxergar e ter uma vivência com a Favelinha e com a com unidade, que é um lugar de resistência social e de produção artística-cultural. O curso contou com café da m anhã da Sãozinha, conversa com Kdu dos Anjos, bate-papo com empreendedores do Aglomerado da Serra, cinem a, apresentação de Passinho, visita ao mirante e happy hour no Bar da Rosana. O “Lá na Favelinha” foi um sucesso e em breve vão vir novidades sobre as próximas edições.


10/19/2018 10:14

Remexe Favelinha tem sua segunda edição

Dos dias 20 a 23 de setembro aconteceu a segunda edição do Remexe Favelinha, que foi realizada em parceria com a Universidade FUMEC. O objetivo foi criar um a nova coleção, desenvolvida pelas costureiras da Favelinha, juntam ente com estudantes dos cursos de design de moda e arquitetura da universidade. O projeto contou com a consultoria do consultor de moda Rodrigo Cesário e a coleção produzida será apresentada no desfile de formatura do curso de design de moda da FUMEC.


Apoiadores

315 pessoas já apoiaram esse projeto!

Somos mais quando seguimos juntos.

© 2019 Evoé Cultural. All rights reserved