Somos - Comunicação, Saúde e Sexualidade

Somos - Comunicação, Saúde e Sexualidade
 Inclusão Social     Porto Alegre - RS  
 Projeto recorrente  

A ONG Somos é uma organização da sociedade civil que atua pelos direitos LGBTI+. Trabalhamos junto à comunidade para uma sociedade melhor.

Somos - Comunicação, Saúde e Sexualidade


R$ 755 este mês
10% de R$ 7.380 por mês necessários

14
pessoas já apoiaram esse projeto!
Apoio mensal!
Você pode apoiar este projeto mensalmente
Ver recompensas

Sobre o Projeto



QUEM SOMOS


A Somos - Comunicação, Saúde e Sexualidade é uma organização não-governamental fundada em 2001 por ativistas da defesa dos direitos humanos de pessoas LGBTI+ e pessoas vivendo com HIV/Aids (PVHA).

Há 22 anos a Somos trabalha para promover os direitos da nossa comunidade, realizando ações transdisciplinares com base nos direitos humanos e ênfase em direitos sexuais e reprodutivos. Nossas ações articulam as áreas da educação, saúde, comunicação, segurança pública e cultura, através da fiscalização das políticas públicas e da realização de projetos de intervenção social com foco na erradicação da discriminação por gênero e sexualidade.

Nossa missão é trabalhar por uma sociedade plural e democrática por meio da afirmação de direitos. Acreditamos que a educação para os direitos humanos e a difusão de informação baseada em evidências são importantes ferramentas para a emancipação de nossa comunidade e garantia de seus direitos.





O QUE FAZEMOS


Nossa equipe trabalha no atendimento social, jurídico e psicológico da nossa comunidade, com acolhimento de pessoas vulneráveis ou vítimas de violência, auxiliando no acesso a seus direitos. Atuamos inspirados na saúde da família e comunidade, com registro no CNES - Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde sob nº. 0782521.

Desde fevereiro de 2021, com a retomada de atendimentos presenciais, já atendemos 602 pessoas, totalizando 2.960 atendimentos realizados por voluntários das áreas de serviço social, psicologia, direito, enfermagem, terapia ocupacional e farmácia (dados de novembro de 2023).

Disponibilizamos atendimento psicoterapêutico e acolhimento em saúde mental às pessoas atendidas pela ONG, além de grupos de convivência para LGBTI+ e PVHA coordenados por profissionais da psicologia. Nossa atuação busca construir um espaço seguro de acolhimento e uma psicologia mais inclusiva e menos patologizante.

Acreditamos na importância do trabalho em rede e realizamos ações, cursos e workshops para a capacitação de trabalhadores e servidores públicos. Entendemos a importância de provocar mudanças no interior das instituições para qualificar o atendimento nos serviços públicos de saúde, educação e justiça, buscando que esses locais sejam livres de estigma e discriminação.

Nossas atividades de apoio técnico-pedagógico e qualificação de instituições públicas já atenderam unidades de saúde, centros de referência em assistência social, escolas e universidades, órgãos do Poder Judiciário, Ministério Público e Defensoria Pública, além de instituições de segurança pública e outras organizações da sociedade civil.

A ONG também é um espaço de aprendizado e crescimento pessoal. Além de voluntários e colaboradores, a Somos proporciona campo de estágio curricular para estudantes de graduação e espaço para a formação de alunos de programas de residência de áreas da saúde.

No campo da segurança pública realizamos, desde 2018, o Projeto Passagens: gênero, sexualidade e justiça criminal. Essa iniciativa realizou o primeiro mapeamento da situação de pessoas LGBTI+ privadas de liberdade no Brasil, colaborando para a criação de normas e políticas públicas, além de revelar a realidade de violência enfrentada especialmente por pessoas trans no sistema prisional. O projeto faz articulações e difunde informações sobre direitos, tendo realizado um documentário e publicado um livro sobre o tema, além de manuais destinados à qualificação do trabalho de servidores públicos. Desde seu início, já qualificamos mais de 10.500 profissionais da área, como policiais, agentes penitenciários, psicólogos e assistentes sociais que trabalham em unidades prisionais, bem como gestores e diretores de prisões em diversas regiões do país.

Saiba mais sobre o perfil dos atendimentos realizados pela Somos:


Do público atendido, 302 se autodeclaram homens gays, 24 mulheres lésbicas, 158 são mulheres trans ou travestis, 54 bissexuais, 58 são homens trans, 40 pansexuais, 39 pessoas não binárias, 4 pessoas intersexo, 4 assexuais. As categorias são cumulativas, considerando que cada usuário declara mais de uma característica (por exemplo, uma mulher trans e bissexual).



No quesito étnico-racial, 322 pessoas atendidas autodeclararam-se brancas, 243 pretas e pardas, oito indígenas e uma pessoa se autodeclarou amarela.

Em relação às demandas atendidas, a maioria (203) se refere à necessidade de psicoterapia ou de acolhimento em saúde mental e também (201) acesso à direitos e à políticas públicas socioassistenciais, como abrigagem/albergagem, benefícios assistenciais e previdenciários incluindo o TRI para pessoas com HIV, etc. Outras demandas incluem aconselhamento jurídico (149), apoio alimentar (83) e inclusão produtiva (15).

Controle social e fiscalização de políticas públicas

Representamos a pauta LGBTI+ nos seguintes espaços: Conselho Estadual de Promoção dos Direitos LGBT do Rio Grande do Sul; Comitê Nacional de Prevenção e Combate à Tortura; Comitê Estadual contra a Tortura do Rio Grande do Sul; Conselho Municipal de Direitos Humanos de Porto Alegre; Fórum Estadual de Educação do Rio Grande do Sul; Comissão de IST/AIDS do Conselho Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul.

Também participamos à convite em fóruns e audiências públicas que debatam os temas de nossa área de atuação.



COMUNICAÇÃO E CULTURA

Em mais de duas décadas, diversos de nossos projetos usaram a arte como plataforma para o trabalho sobre direitos humanos com juventudes e com a comunidade em geral, além intervenções urbanas e eventos locais. Entendemos arte e cultura como meios potentes para a difusão dos direitos de nossa população.

Nossa presença online pretende estimular o compartilhamento de informações seguras e baseadas em evidências, sempre em um formato acessível a todos os públicos.

​A Somos também mantém o ​Centro de Documentação Adelmo Turra, acervo especializado em gênero, sexualidade e HIV/Aids, que conta com diversos títulos, entre livros, vídeos e outros impressos.

Também fazemos parte da organização da Parada Livre de Porto Alegre, a segunda parada do orgulho mais antiga do Brasil, que reúne diversas atrações artísticas e de mobilização social, atraindo milhares de pessoas para a capital gaúcha.


NOSSA EQUIPE

Atualmente a equipe da Somos é formada por uma diretoria composta de três coordenadores e um conselho fiscal composto por seis membros; possuímos dois profissionais remunerados e dois prestadores de serviço externos; o voluntariado da ONG é composto por 10 pessoas de diferentes áreas, além de 4 estagiários e um aluno de residência (dados de novembro de 2023).

A esse time de 28 pessoas também se soma a colaboração de voluntários eventuais, além de amigos e ex-membros da ONG.



NOSSO ORÇAMENTO

Para o pleno funcionamento da organização, nosso orçamento inclui despesas com recursos humanos, serviços, taxas e outras despesas. As receitas da organização são provenientes principalmente de doações, além de recursos arrecadados para a realização de projetos sociais, quando disponíveis.



Do valor a ser arrecadado, pretendemos destinar 57% para recursos humanos, que incluem a contratação de um profissional de apoio administrativo para nos auxiliar com as tarefas burocráticas da organização e possibilitar que os integrantes possam se dedicar à execução dos projetos de benefício às populações vivendo com HIV/Aids e LGBTI+. Esse recurso também remunera um profissional responsável pela gestão de todos os nossos canais de comunicação, como site e redes sociais, que possibilitam nosso contato mais próximo com o público, além de realizar a diagramação de texto, edição de imagens e criação de campanhas.

A contratação de serviços contábeis é obrigatória para a manutenção da regularidade de nossa organização com nossas responsabilidades tributárias, e representa 13% do custo mensal; enquanto que despesas administrativas (como taxas bancárias, emolumentos e outras obrigações tributárias) representam 4% do orçamento.

Outras despesas incluem 4% para material de expediente (papelaria e impressões); 3% para internet e telefone; 6% para hospedagem de site, provedor de e-mail e ferramentas online; 10% para limpeza e higienização (produtos de limpeza, faxina, além de itens como papel higiênico e álcool gel); e 3% para água e o cafezinho nosso de cada dia.

Atualizações

O projeto ainda não possui atualizações. Mas fique ligado que em breve teremos novidades ;)

Apoiadores

14 pessoas já apoiaram esse projeto!

© 2021 Evoé Cultural. All rights reserved